Atleta mirim da Maré faz campanha para participar de mundial de jiu-jítsu

Com 8 anos, Pedro Felipe sonha em ser campeão mundial de jiu-jitsu. Cria da Maré o garoto quer buscar o título em Abu Dhabi.

Por Gabriel Horsth – Centro de Teatro do Oprimido, Rio de Janeiro
06/06/2022 – 08:00

Pedro Felipe ganhando campeonato | Foto: arquivo pessoal

O atleta Pedro Felipe, 8 anos, é morador da Maré e foi convocado para representar o Brasil no campeonato mundial de jiu-jitsu, Abu Dhabi World Professional Jiu-Jitsu Championship. A competição acontecerá em novembro de 2022 na capital dos Emirados Árabes Unidos. Pedro luta desde 2019 na academia de luta Maré Top Team, localizada no Parque União, uma das 16 favelas do conjunto da Maré. A academia é comandada pelo mestre Douglas Gentil e reúne atletas de diversas idades e faixas. Sem condições de arcar com a viagem para Abu Dhabi, a família lançou uma vakinha virtual de R$13.000,00 que cobrirá os gastos de passagem aérea, alimentação e passaporte do Pedro e de sua avó. 

Aos 6 anos de idade, o garoto foi matriculado por sua avó na academia de luta através de estímulos de seu primo que também lutava. Hoje com 8 anos Pedro coleciona 28 lutas e 24 medalhas, sendo 16 de ouro. A última medalha foi de prata no CBJJ Campeonato Brasileiro de Jiu-Jítsu 2022 em São Paulo. Não é a primeira vez que Pedrinho disputa em um campeonato internacional. Em 2020, um ano após o seu primeiro treino,  ele ganhou medalha de prata no AJP Tour Guarapari International Pro na categoria kids em Espírito Santo. Esse ano ele trouxe ouro para Maré na mesma competição.

Pedro Felipe ganhando campeonato | Foto: Douglas Gentil

“Foi uma descoberta o jiu-jítsu. Hoje eu dou minha vida pra ver ele lutando e conquistando tudo que ele quiser”, comenta a avó, Leda Conceição, responsável por levar o menino em todas as lutas e competições. “Eu faço rifa, sorteio, bingo, vendo bolo e salgados no meu trabalho (serviço geral) e quando dá, ainda faço bico, tudo pra ele conseguir participar dos torneios”, explica ela com entusiasmo. 

O garoto que perdeu o pai durante a infância e é criado por seus avós só pensa em uma coisa: “quero ganhar o mundial!”. Sua mãe, Adrielle Barros, destaca que o filho sempre gostou de artes marciais, “ele sempre gostou de Naruto e vários desenhos de lutas”. Ela acredita no potencial do filho e vê condições suficientes para o garoto trazer a medalha de ouro para casa no mundial em Abu Dhabi, “nosso sonho!” diz ela.

As doações para campanha podem ser feitas por pix (e-mail: 2880046@vakinha.com.br) a partir de R$2,00 ou no site da Vakinha (www.vakinha.com.br/2880046) a partir de R$25,00. Maiores informações sobre a campanha e o atleta são encontradas nas redes sociais: Instagram (www.instagram.com/pf.horsth) ou Facebook (www.facebook.com/pf.horsth).

SE GOSTOU DO CONTEÚDO, COMPARTILHE!