Grupo Maricanto de Teatro das Oprimidas entra em temporada de apresentações

A peça de estreia do grupo “Até Quando” apresenta a formação da sociedade patriarcal com o reforço de estereótipos de gênero, que se constroem desde a infância até os recorrentes casos de violência que estes padrões acarretam.

Por Brenda Cristiny – Centro de Teatro do Oprimido, Rio de Janeiro
09/09/2022 – 18:00

Através do projeto Teatro das Oprimidas, o Grupo Maricanto, formado majoritariamente por mulheres da região de Maricá, entra em temporada de apresentações entre 13 de setembro e 08 de outubro. A peça de estreia do grupo “Até Quando” apresenta a formação da sociedade patriarcal com o reforço de estereótipos de gênero, que se constroem desde a infância até os recorrentes casos de violência que estes padrões acarretam. Com direção de Monique Rodrigues e Marcelo Heleno e elenco composto por Rosa dos Anjos, Débora Monteiro, Dayse Laurindo, Ranielly Monteiro e Fernanda Lyrio, a peça circula no Cras Santa Paula, Casa dos Conselhos, Secretaria de Políticas Inclusivas e no Antigo Cinema de Arraial do Cabo. 

Totalmente gratuita, a peça de Teatro-Fórum “Até quando?” retrata as diversas faces da violência contra mulher, a partir da história de um casal e sua filha e todo o desenvolvimento da opressão que culmina no caso de abuso infantil e o silenciamento da sociedade frente a esses casos. Ao final da peça, o público é convidado para o fórum, onde entram em cena e experimentam possíveis alternativas de enfrentamento à temática apresentada. Os fóruns são coletivos e a proposta inovadora é da atriz e escritora brasileira Bárbara Santos, sistematizadora do Teatro das Oprimidas.

As ações acontecem por meio da parceria do CTO com o patrocínio da Petrobras e da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO:

Data: 13/09 

Horário: 10h 

Local: Apresentação Cras Santa Paula. 

Endereço: Estrada de Cassorotiba, s/n (ao lado da Escola Municipal Vereador Osdevaldo Marins da Matta e do PSF Santa Paula). Maricá/RJ.

Data: 20/09 

Horário: 9h

Local: Apresentação na Casa dos Conselhos. 

Endereço: Rua José Custódio Soares, 175. Boa Vista, Maricá/RJ. 

Data: 29/09 

Horário: 16h

Local: Apresentação na Secretaria de Políticas Inclusivas.  

Endereço: Rua Antônia Vieira Sobrinho, 333. Eldorado. Maricá/RJ. 

Data: 8/10

Horário: 19h

Local: Apresentação no Antigo Cinema de Arraial do Cabo.
Endereço: Avenida da Liberdade,  50. Centro. Arraial do Cabo/RJ.

GRATUITO

SOBRE O TEATRO DAS OPRIMIDAS

O projeto Teatro das Oprimidas tem como objetivo geral fortalecer os Grupos Teatrais Populares de TO (Teatro do Oprimido e Teatro das Oprimidas), ampliando seus raios de atuação, realizando oficinas de TO para estimular multiplicadoras/res e cenas que mobilizem alternativas transformadoras para a juventude, em espaços populares e institucionais com a metodologia da Estética, do Teatro do Oprimido e do Teatro das Oprimidas. As ações serão distribuídas em municípios da Região Metropolitana, como Duque de Caxias, em comunidades e bairros no entorno da REDUC (Refinaria Duque de Caxias); São Gonçalo e Itaboraí, cidades situadas na área da COMPERJ (Complexo Petroquímico do RJ) e que também fazem parte da APA (Área de Proteção Ambiental de Guapimirim); Niterói; Nova Iguaçu; 6º Maricá; e também no interior do estado, na cidade de Macaé (Região da Bacia de Campos); além do município onde localiza-se a sede do CTO, o Rio de Janeiro. 

SOBRE O CENTRO DE TEATRO DO OPRIMIDO 

Centro de pesquisa e difusão que desenvolve a metodologia do Teatro do Oprimido em Laboratórios e Seminários de Dramaturgia, ambos de caráter permanente, para revisão, experimentação, análise e sistematização de exercícios, jogos e técnicas teatrais. O CTO foi dirigido por Augusto Boal ao longo de seus últimos 23 anos de vida e, hoje, sua equipe dá prosseguimento ao trabalho. A filosofia e as ações da instituição visam à democratização dos meios de produção cultural, como forma de expansão intelectual de seus participantes, além da propagação do Teatro do Oprimido e do Teatro das Oprimidas como meio da ativação e do democrático fortalecimento da cidadania. O CTO implementa projetos que estimulam a participação ativa e protagônica das camadas oprimidas da sociedade, e visam a transformação da realidade a partir do diálogo e de meios estéticos.

SE GOSTOU DO CONTEÚDO, COMPARTILHE!